sábado, 5 de julho de 2014

GIGANTES

Eu caí. Caí muitas vezes que as cicatrizes dos meus joelhos são visíveis de longe. Eu fui até a selva e até os sonhos mais profundos para ter a certeza que teria forças para levantar-me. Que certo alguém estaria por perto para estender a mão para mim.
Eu chorei. Chorei até minhas lágrimas secarem, até não ter mais alternativas do que não sentir mais nada. Muitas vezes, a única alternativa é ignorar a dor, ignorar os reais sentimentos. Fingir que tudo já passou.
Eu tive paciência. Tanta paciência por saber que certo elo é maior que os mistérios do Universo. Nossas vidas se alinham para todo o resto fazer sentido.
Eu amei. Amei quando achei que nunca mais pudesse amar ninguém. E só é amor se não forçar. Também só é amor se vai além das aparências. Então eu caí no poço das vaidades. Nesta mistura de ter e ao mesmo tempo não saber se posso tocar.
Eu me perdi. Perdi a razão em meio a juras de promessas feitas para mim mesma. Mas a única certeza é que TE AMO.

Eu encontrei a minha almA gêmea. :D
Postar um comentário