domingo, 27 de outubro de 2013

Relato Real da Aparição de um Duende


Você acredita em duendes, seres mágicos e outras criaturas de distantes dimensões que ora e outra compartilham da mesma Terra que nós? Pois eu sim!


Eu pensei, pensei e pensei se eu contaria esta história para vocês. E se estou escrevendo este post, é que a resposta é SIM. Bem, antes de eu dizer qual é a minha relação com os duendes eu preciso salientar que: Há tantas notícias ruins que são compartilhadas mundo à fora, todos os dias; tantos relatos de gente que tem o prazer de odiar, de transformar suas mãos amigas em garras; Pessoas, nas quais, estão destruindo o mundo que vivem as custas de nada, ou melhor, às custas de dinheiro, de ganância, de ego. Das coisas que eu nunca entendi, a principal é crescer e perder o coração puro de uma criança. Talvez eu seja inocente demais neste mundo repleto de sociopatas, mas eu acredito em forças mágicas que estão em algum lugar nos mostrando um caminho, guiando-nos nessa realidade, muitas vezes, imunda. E essas forças mágicas estão presentes para quem quer acreditar nelas.
Eu sei que como sou uma escritora, para os céticos, pode soar apenas como esquizofrenia ou algo do tipo, mas enfim.. há tantas outras coisas mágicas que presenciei que afirmo que existe bem mais do que você vê ou lê. Em toda lenda há um fundo de verdade. ;)
Meu único orgulho é ser altruísta.
Eu nunca confiei em ninguém que ache que os humanos são os donos da Terra e despreze os animais e plantas. Enfim, eu nunca consegui confiar em quem valoriza coisas fúteis e esquece que juntos somos um só. Eu só quero dizer que se eu estou compartilhando meu relato sobre os duendes com vocês, é que meu único objetivo é transpassar algo de belo e curioso. Eu sempre considerei que certas coisas eu deveria guardar apenas para mim, mas compreendi que coisas boas devem ser passadas adiante e esse episódio da minha vida, por mais surreal que seja, é verdadeiro e foi o sinal que eu precisava para reforçar meu gosto por histórias fantásticas e meu alicerce em um momento delicado ( não triste, apenas sensível mesmo) que eu estava passando. Muita ansiedade, confusão...
Dizem que os duendes aparecem para quem está muito sensível e conectado com a Natureza. É uma mensagem de um mundo mágico para essas pessoas. Um bom sinal e por isso, eu me sinto honrada que uma criaturinha assim apareceu para mim. ♥
Em uma manhã de agosto, de 2013, eu despertei. Foi um despertar sem querer abrir os olhos, depois de uma tranquila e profunda noite de sono. Eram 6h e eu estava sozinha no meu quarto. Tomei coragem e decidi levantar da cama. Afinal, eu teria um longo dia de trabalho e estudos, mas algo não deixou que eu movesse-me. Senti um peso sobre mim e algo impossibilitou-me de ver. Uma estranha força obrigou-me a fechar os olhos. De repente, o peso de cima de mim foi embora, consegui abrir as minhas pálpebras e foi aí que avistei um estranho e pequeno vulto que tentava atravessar a porta do meu guarda-roupas. Fiquei imóvel. Algo me dizia apenas para observar. Eu não tinha forças, como se uma energia maior tivesse tomado conta do meu quarto e de todos os mortais ali presentes, no caso, EU.
Em questão de segundos o vulto sumiu e reapareceu sobre meu peito. Eu me virei e tentava encará-lo, mas cada vez que eu tentava isso, eu recebia tapinhas em meu rosto. Não doía, na verdade fazia cosquinhas, mas eu entendia que não era para olhá-lo. Eu me irei olhando para o colchão, porque continuava não conseguindo mover-me direito. REPITO: Eu não conseguia levantar-me. Alguma força maior mantinha-me deitada. Então, eu apenas consegui focar, novamente, na única direção que eu tinha por direito: meu guarda-roupas, já que no meu outro lado apenas tinha uma parede. E olhando para o móvel, lá estava o estranho e nervosinho vulto, de aparência deformada, com o que seria a cabeça em formato de cone, (não era um chapeuzinho) e ainda ele não parecia possuir roupas. Era uma figura viva, mágica de uns quarenta centímetros que "vibrava", tremia e tornava-se quase transparente em segundos. 

"UM DUENDE NO MEU QUARTO!" - Eu gritei em pensamento.

Digo que foi uma das sensações mais mágicas da minha vida. Poucos minutos depois, eu me senti mais fraca e com sono, mas não adormeci. O duende subiu mais uma vez no meu rosto e logo depois desceu e foi para o canto do meu quarto, foi quando eu deixei de sentir a energia que rodeava o meu quarto, estiquei as pernas e estava com os sentidos recuperados outra vez. 
Acendi a luz e tudo voltou ao normal. Não foi sonhos, ou alucinação. Apenas a certeza de que forças maiores estão a nossa volta.
Bem, eu sempre acreditei em duendes e já escrevi contos sobre eles. Minha mensagem é que eles estão comigo e com quem quiser acreditar neles. ;)


Amor,

Suzy M. Hekamiah


Foto meramente ilustrativa. não encontrei uma foto de algum duende que realmente se parecesse com o aquele que eu vi.


Um comentário:

Anderson Santos disse...

tiva essa esperiencia tebem,so que no meu caso nao erra bonitinho nao,tinha uma forma orrivel. eu tinha aproximadamente 8 anos,estava dormindo e senti um peso sobre a minha cabeça,ouvi um som com se a coisa tivesse pulado no chao,com dificuldade abri os olhos e la estava de pe a coisa olhando para o meu pai que estava dormindo,ele resmungava algo que nao dava para compreender,depois de 7 anos meu pai arrumou uma namorada e ele foi fechar a janela do qurto e viu a mesma coisa,ela chegou a desmaiar a coisa estava indo em direçao ao meu pai que estava dormindo na sala. um amigo do serviço me contou uma historia que o pai dele viu na mata o um bicho com a mesma caracteristica,isso no norte do estado. se voce quizer falar mas sobre o assunto meu anderson.ferreira48@yahoo.com.br