quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Rosas do Ártico

Tive medo de mim
Dos meus olhos te fitando
Do meu instinto selvagem
Eu quis provar que o universo é único
E dele não tenho a mínima idéia de quem sou
O que faço para diminuir minha dor?
Olhos insanos

Olhos insanos
A próxima morte ainda não será o fim
Todo tempo no topo do mundo
Meu amor parado e frio
de frente com a escuridão
Eu vi rios de sangue
ignorando o coração
em direção às lágrimas
Seja na chuva
Eu ignoro os limites de te desejar
E será que todo este céu é azul?


Eles acordaram do mais profundo sono
Eles sentiram seu sangue descongelar
Puderam ver o céu cair
As árvores cobertas com o manto da neve

"Durma"
"Durma"

Eles lutaram bravos e aguerridos
com suas espadas
Você não pôde ver
Mas sentiu sua coragem
No que acredita?
Eles lideraram nossos desejos
E confundiram as pegadas com as folhas

Não posso ser...
Não posso ver...
Perceber...
Se seus sonhos fazem parte do meu mundo

Por causa dos tolos
Eu faço-me de uma

Em piedade
Caminhe longe dos abismos
Até que tenha asas para ser livre...
longe de mim

Lembro-me dos velhos tempos...
da juventude
Olho toda noite o manto negro e suas constelações
Procuro alternativas
Antes que a brisa mude a direção do meu amor

^^
Beijos!

Um comentário:

ITALO disse...

Vc tem talento em gata!

vai fundo com seu livro!

do mó força em !!!