quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Do Alto da Montanha

Esta foi a última canção antes de sua partida
Ainda lembro-me da primeira vez que o vi
Da última rosa, secando ao vento
Como em um sonho
Eu vivo no imaginário
Quebrando a ampulheta a todo tempo
Onde não há horas a contar
Não há motivos para preocupar-se
Eu seguro sua mão a todo instante
Estamos prestes a perceber a realidade
Mas por mais que exista razão
Não acorde-me dos seus sonhos
Salva-me diante da queda

Desconheço sua verdadeira intenção
Sigo contando seus passos
Não há destino
Rumo definido
Todas as noites parecem princípios ao infinito
Quem sabe um fim estranho e inesperado
Não sei prever seus olhares
Estou confusa
E incrédula pelos fatos
Tomando conta do meu passado
E como ele é um veneno doce na minha vida

Calada na colina
Não há para quem chorar
O dia amanhece incerto
E todos fingem mais amores que possam ter
Mais um tempo para eu decidir
Mais um tempo...
que passa em branco

Beijos!

3 comentários:

Altieres disse...

Suzy (Do alto de seu coração)

Quando em seu corpo o dia beijar,
Nos cantos do horizonte,
Vossa beleza irei contemplar.

Juntamente com sua nobreza,
Que nos detalhes de tal proeza,
Seu coração irei deslumbrar.

E nos laços de meus desejos,
Que na ternura de seus beijos,
Seu belo nome, homenagear...

(Altieres H.F.S)

jorge disse...

Tanta coisa à lhe dizer
Mas,palavras são imperfeitas
Para dizer dos sonhos
De alma tão doce e feminina
Alma feita,toda de poesia
Feliz em ler e sentir
Páginas tornadas encantadas
Pela sensibilidade poética
Desta amorosa e linda poetisa
De nome tão doce e suave...
Duas silabas apenas!Só Suzy...
...poeta Jorge...

Jorge disse...

Tanta coisa à lhe dizer
Mas,palavras são imperfeitas
Para dizer dos sonhos
De alma tão doce e feminina
Alma feita,toda de poesia
Feliz em ler e sentir
Páginas tornadas encantadas
Pela sensibilidade poética
Desta amorosa e linda poetisa
De nome tão doce e suave...
Duas silabas apenas!Só Suzy...
...poeta Jorge...