sábado, 21 de setembro de 2013

Feliz Aniversário Stephen King

Em 1995, a minha babá passava clássicos filmes B para eu assistir. Era o passatempo para uma menina que só sabia falar sozinha pela casa com seus amigos imaginários, além de gostar de enterrar objetos para brincar de caça ao tesouro e colecionar maquiagens. Pois bem, o fato é que todas aquelas sessões de filmes trashs causaram um efeito artístico naquela que vos escreve. Dentre desenhos animados, que em outrora eram apresentados a mim, eu ficava mesmo fascinada pelas atuações e histórias dos filmes mais loucos em efeitos especiais que eu já tinha visto. Preciso citar nomes como: A Hora dos Mortos Vivos, A Bolha Assassina, À Meia-Noite Levarei Sua Alma, A Noite do Terror, Fogo no Céu, Nosferatu, O Duende e etc?
Embora eu fosse apenas uma criança, eu acabei vendo esses filmes mais com o senso artístico do que com medo. Para mim, eu pensava em como algo irreal poderia transformar as minhas emoções no dia-a-dia e mexer com meus sentimentos; em como todo aquele sangue, gosma, luzes, diálogos estavam sendo produzidos para levar sensações a terceiros através na TV. Era mágico! Foi um dos meus primeiros conceitos para com a Arte.
Contudo, a obra cinematográfica que levei por tempos as cenas em minhas mente foi: Cemitério Maldito II. Após assisti-lo, aos cinco anos, queria mais. Queria estudar Cinema e fiquei mais ligada às artes em geral, assim como aventurei-me ao gênero de terror e viciei em lendas urbanas, tendo jogado o Jogo do Copo e chamado a Bloody Mary várias vezes. rsrsrsrs
Anos mais tarde, lendo uma matéria sobre os Ramones, da qual sou fã, li que eles gostavam muito de filmes B, em especial do Stephen King. Fui procurar a respeito do autor e para a minha surpresa, na época, ele era o criador do livro  Pet Sematary, da qual foi baseado o filme Cemitério Maldito. Fechou! Fiquei interessada em sua obra e nunca parei mais de ler seus trabalhos. Posso dizer que é um dos meus autores favoritos. Mas, principalmente, posso dizer que se não fosse o Stephen King, mesmo sabendo de suas obras através dos filmes, eu não teria explorado outras obras fantásticas de tantos outros autores, de todas as nacionalidades, ainda criança.
Ano passado, homenageei-o na antologia AUTORES FANTÁSTICOS, ed. Argonautas, com o conto O MISTERIOSO VENDEDOR.
E posso dizer: STEPHEN KING fez escola! =)
Postar um comentário