quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Nunca mude a direção do teu dom

Nesta semana eu ouvi um mantra: " Nunca mude o que você sabe fazer, porque você pode perder tudo."
E quantas vezes mudamos os caminhos, ficamos em rotas diferentes e supomos várias coisas e objetivos e acabamos com um vazio? Quantas vezes comparamos o passado com o futuro? Refazemos nossos planos e tentamos nos sintonizar outra vez na jornada?
Às vezes, nos perdemos e depois da perda é quando nos reencontramos. Os vícios dos planos, a mente turva pelos velhos sonhos e toda a conexão que tínhamos com esses velhos objetivos se perdem nas ameaças de falsas liberdades. Ficamos escolhendo e pensando nos melhores caminhos a todo instante, enquanto a vida passa e deixamos de lado o que é verdadeiro. E então, caíamos na real que não importa o tamanho da jornada, mas ela só estará completa se seguirmos o que conhecemos de coração. A gente precisa preservar o que é verdadeiro, o que nos mantém em paz. Aquilo de melhor que sabemos fazer é onde vai nos colocar no meio das pessoas certas e com a nossa conexão universal. O impulso de agir pelo que é mais fácil ou conveniente, mas isso não quer dizer que a felicidade estará no que supomos ter poder pelo o que a sociedade quer conduzir, quando o poder está no que fazemos de melhor.
Nunca abandone um dom e um talento seu, a única missão que temos no mundo é transmitir o que sabemos fazer de melhor. Não importa o que digam, o que façam, ou tentam interferir, ou o tempo que for levar... quando nós seguimos o nosso dom, entendemos o significado de apenas SER e não ESTAR.



Postar um comentário